18 de novembro de 2016 Rogério Minhano

Quem é o voluntário ideal para o seu hostel?

Um hostel é muito mais do que sua localização ou infraestrutura: é sua atmosfera, mantida pelas pessoas que trabalham ali. Elas podem fazer seu hostel brilhar… ou fazer exatamente o oposto e transformá-lo num lugar sem graça. Não é fácil encontrar o voluntário ideal para o seu hostel.

É cada vez mais comum encontrar voluntários cumprindo turnos na recepção em troca de hospedagem gratuita ou com grandes descontos. O voluntariado se tornou uma alternativa interessante para os mochileiros que não querem gastar muito viajando, é um acordo baseado na ideia de economia compartilhada e tem um apelo enorme para essa geração. Receber voluntários é fácil, escolher os voluntários certos nem tanto.

O critério mais óbvio é buscar pela consonância entre o perfil ou vibe do hostel e a personalidade do voluntário. Party hostels procuram voluntários que gostem da ideia de sair e passar a noite em claro, hostels mais tranquilos preferem voluntários também mais tranquilos e assim por diante. Mas existem outros critérios importantes além dessa combinação essencial entre personalidade-hostel.

O que procurar em um voluntário depende das responsabilidades que ele assumirá enquanto parte da sua equipe. A lista de potenciais cargos, categorias ou tarefas é infinita, mas vamos dar uma olhada em três delas (ainda que seja muito comum tê-las todas juntas em um voluntário híbrido e multitarefas).

O voluntário recepcionista

Começamos com a recepção. Se não a cara do hostel, é definitivamente a primeira impressão que seu hostel transmite ao hóspede. Temos certeza que um recepcionista desinteressado, descompromissado e sempre de saco cheio não é uma boa escolha para hostel nenhum, ou talvez só para o Hans Brinker Budget Hostel — o pior hostel do mundo com muito orgulho. Um recepcionista sorridente que sabe como dar boas-vindas calorosas e fazer piadinhas bobas na medida certa parece muito melhor. Então, de maneira geral, podemos dizer que o que procuramos em um recepcionista é: boa desenvoltura interpessoal, idiomas essenciais e alguma familiaridade com computadores para evitar qualquer confusão com o seu sistema de gerenciamento.

Você passou horas viajando em um ônibus cheio, quente e desconfortável, está com fome e, ao mesmo tempo (é claro), se sentindo meio enjoado. Finalmente chegou ao hostel e quer mais do que tudo deitar na sua cama. Quem você quer fazendo seu check-in? Esse é o teste definitivo para um bom recepcionista e você pode até usá-lo como uma dinâmica de entrevista de emprego.

Também é importante considerar que o primeiro a lidar com críticas e reclamações é sempre o recepcionista e se ele não souber manter a situação sob controle qualquer probleminha pode se tornar uma review dolorosa.

Antes de passar para a próxima categoria, vale lembrar que nós já falamos sobre ter voluntários na recepção aqui no blog e, bem, não é sua melhor opção.

O voluntário “criativo”

Ao voluntário criativo são atribuídas tarefas ligadas ao design gráfico, marketing online, fotografia etc… É quem vai fazer postagens legais no Instagram, cuidar do evento da sua próxima festa no Facebook, escrever uma mensagem de bom dia na lousa da cozinha, grafitar as paredes do hostel. Você pode ter um voluntário vlogueiro-influenciador-digital que publicará vídeos sobre o dia a dia do hostel, por exemplo. O voluntário criativo não é tão diferente do voluntário de T.I., que vai dar um tapa nos seus computadores, configurar melhor sua impressora e roteador wi-fi. Aqui é importante a desenvoltura intrapessoal: auto-disciplina, bom gerenciamento do tempo, iniciativa independente e a habilidade de receber críticas construtivas numa boa.

O voluntário da manutenção

Por último mas não menos importante, vem o voluntário que auxilia nas tarefas de manutenção do espaço. Limpeza, jardinagem, troca de lâmpadas e até a execução de pequenos projetos como construir um sistema de captação de água de chuva. Além das características intrapessoais do voluntário criativo, é importante que ele tenha experiência e se sinta confortável com trabalhos manuais e em equipe. Manutenção não é um trabalho de lobo solitário na frente do computador, é preciso interagir e trabalhar bem em cooperação com outros.

Ou seja…

Uma miríade de coisas está envolvida na escolha de um bom voluntário: o perfil do seu hostel, os serviços que você oferece além da hospedagem (como bar ou lavanderia) e até o período em que determinado voluntário vai passar com você. Pode ser interessante ter um voluntário mixólogo entusiasta das caipirinhas durante o carnaval e um voluntário hortelão para cuidar das plantas durante a baixa temporada. O essencial é então definir suas expectativas e buscar alguém com predisposição e um pacote de habilidades para contemplá-las. Troquem emails, conversem pelo Skype, dê uma olhada nos perfis das redes sociais dos seus candidatos e conheça-os um pouco mais a fundo.

Um ótimo voluntário pode fazer muito por seu hostel, assim como uma má escolha pode pesar negativamente na experiência dos hóspedes, diminuir seu rating nas OTAs e atrasar planos estratégicos para o desenvolvimento do seu negócio. Escolher sabiamente seus voluntários significa tomar conta do seu hostel, torná-lo único, coerente e vê-lo crescer.

About the Author

Rogério Minhano
Rogério Minhano Empreendedor, viajante, programador, sócio do Café Hostel e co-fundador da hqbeds. Nada melhor que uma boa conversa e uma cerveja gelada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro − 1 =